© Filipa Brito

Bolhão ou o poder de atração

24 de abril de 2018

Esta semana, partilhamos do gosto da vereadora Catarina Araújo, responsável pelos pelouros da Juventude e Desporto, Recursos Humanos e Serviços Jurídicos da Câmara do Porto, em "perder-se nas compras" no Bolhão e não tardou a perceber como é fácil: este mercado é um espaço aberto, de gente autêntica, com bancas cheias de cores, sabores e aromas variados. 

 

 

O traço de identidade do Bolhão traduz-se bem na expressão que Catarina Araújo utiliza nesta manhã de compras: "É mesmo aqui que esta senhora é simpática, é o critério da atração do consumidor".
"Este morango, minha senhora, depois vai ver quando comer..." - atira a comerciante, que conhece bem a qualidade daquilo que vende. 
"Já sabe que vamos para o La Vie? Tem uma porta de lado, tem estacionamento. Já precisávamos destas obras há muito", continua a vendedeira, enquanto avia as maçãs e as ameixas. "Acontece-me sempre isto", confidencia a vereadora, "levo sempre mais do que aquilo que vinha comprar".

 

Catarina Araújo procura depois a senhora "que vende uns tomates maravilhosos para salada".
"Olhe que eu depois não estou aqui, minha senhora, vou vender para o La Vie", avisa a vendedeira. "Pois, enquanto decorrem aqui as obras", retorque a vereadora; "olhe que daqui ali são 200 passos, quem vem aqui vai depois ao Mercado Temporário do Bolhão [que abre dia 2 de maio]".
Depois dos tomates, vem a escolha dos nabos e alho francês, para a sopa, e de ervilhas, que Catarina Araújo confessa "adorar". 

 

A concluir o périplo das compras, Catarina Araújo perde-se entre tantas flores. O vendedor logo se apressa a compor um ramo, com a ajuda da vereadora.

 

No interior do pitoresco mercado do Bolhão, prestes a transitar para o Centro Comercial La Vie, o sentimento por parte dos comerciantes é uníssono: "Precisamos destas obras há muito". E foi este desabafo que aproveitaram para passar nesta visita.

 

"Costumo vir comprar ao Bolhão sobretudo ao fim de semana, pois tenho a família para me ajudar com os sacos. Venho aqui e continuarei depois a ir ao Temporário porque me garantem qualidade", conclui Catarina Araújo.

 

O edifício tradicional do Bolhão estará aberto até ao próximo sábado, 28 de abril, encerrando depois para obras profundas de restauro. O mercado de frescos e legumes, umbilicalmente integrado na dinâmica da cidade, estará "ali ao lado", no centro comercial La Vie, a partir de 2 de maio.

 

A acompanhar a transição para o Temporário, está a decorrer (até 9 de julho) uma campanha de promoção, com oferta aos clientes do Bolhão de uma coleção de brindes úteis.

 

 

Fique informado sobre as atividades do mercado.

© 2018 • Todos os direitos reservados.